quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Prazer e necessidade


Contrariando aquela ideia de que as necessidades de sono vão diminuindo à medida que a idade avança, estou em crer que elas variam antes de pessoa para pessoa, independentemente dos anos que cada um tem.
Estou entre os que os precisam de dormir muito (oito horas, no mínimo) para poder sentir-se bem. Mais: dormir é para mim um enorme prazer. Por isso adoro sestas no sofá seja qual for a estação do ano, adormeço sempre com muita facilidade e raramente tenho um sonho mau, daqueles que nos fazem acordar em sobressalto.
Mas, exceptuando os férias e alguns fins de semana, as minhas horas de sono ficam sempre um pouco aquém do que preciso. Talvez porque também não sou capaz de me deitar cedo...
Isso explica que, depois de uns dias de pausa, tenha vivido esta semana em estado de semi-sonambulismo, na incapacidade de voltar ao ritmo alucinante do quotidiano, aos três despertadores que tocam a horas obscenas, e a uma vida feita em permanente correria, e anseie como nunca a chegada do fim de semana para me recompor de todos os afazeres e cansaços deste recomeço, e poder enfim dar-me ao luxo de, enquanto houver sono, dormir tranquila como um bebé, sem nada que venha interromper-me os sonhos. 

5 comentários:

  1. Eu previso de 8 horas de sono para andar bem acordado no dia seguinte. Felizmente tenho um sono muito rápido: basta deitar-me no sofá a ouvir um debate para a presidência que adormeço logo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que horror Sérgio, mas esses debates até devem dar direito a pesadelos...
      Para mim é mais simples ainda: nesta última semana, bastava sentar-me no metro ou no autocarro e adormecia.

      Eliminar
  2. Boa tarde, Isabel!
    Maioria das pessoas dos meus relacionamentos tomam comprimidos para dormirem. Felizmente não tenho este problema. Quando me acontece aquelas noites de insónias, sem ou com explicação, tomo chá de alface com um pingo de leite e açucarado...Como não tenho grandes cansaços seis horas de sono chegam-me, mas tem dias que são mais. Sestas só se estiver doente ou muito, muito cansada. Também não tenho facilidade em dormir em qualquer lugar... Quem me dera a mim...em especial em viagens de avião!
    Bom fim-de-semana!
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Madalena, eu insónias, graças a Deus, é raríssimo ter. Já nem me lembro quando foi a última vez. E não há problema ou preocupação que me tire o sono. Mais depressa me afectam o estômago.
      Mas isto é uma herança materna: a minha mãe tem noventa anos e toda a vida dormiu imenso, sem nunca tomar nada para dormir. E fazia normalmente uma curta sesta a seguir ao almoço. Sempre...
      Eu sou capaz de dormir de luzes acesas, com uma festa no quarto, de dia e de noite e, se for preciso até de pé. Ou quase...
      É que quando tenho sono, tenho sono mesmo. Já adormeci numa discoteca e tudo... :D

      Eliminar
    2. Bom fim de semana também para si. Beijinho :)

      Eliminar