domingo, 5 de maio de 2013

Todos os Domingos são nossos



Antigamente, neste dia, havia as rosas da florista Malmequer e o almoço no Piazza di Mari, e era uma festa. Agora já nem vamos lanchar à Versailles, porque os nossos passeios se tornaram muito mais curtos.
Mas nós não precisamos que haja este dia, porque temos os Domingos todos, tempo de estarmos juntas e de nos perdermos em conversas e risos, em cumplicidades e meiguices várias, coisas de mãe e filha, que ninguém mais consegue entender.
Hoje, tudo é diferente do que já foi. Só o amor não mudou.
E eu continuo a ser a tua menina...

Mãe! passa a tua mão pela minha cabeça!
Quando passas a tua mão pela minha cabeça é tudo tão verdade!
 
                                                                   (Almada Negreiros)
 

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada Madalena! Um beijinho também para si :)

      Eliminar
  2. Aproveite bem , isabel , pois só depois de não as termos damos verdadeiro valor às nossas Mães. Infelizmente vivi 30 anos longe de Lisboa e dela, logicamente. Muita falta me fez....

    Bjinho

    ResponderEliminar
  3. Destes Amores não há corpo que abarque tanta memória...

    Beijinho:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Paulo! É a vida toda e o que fica para além dela ;)

      Beijinho :)

      Eliminar