quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

"Diplomacia cultural"


Leio nos jornais que Soraya Santamaría, a Vice-presidente do governo espanhol, disse ontem, em Lisboa, na inauguração da exposição que traz a Lisboa 57 célebres quadros do Museu do Prado, em Madrid, os quais podem ver-se no Museu Nacional de Arte Antiga até 30 de Março de 2014, que esta parceria entre os museus era "um importante passo na diplomacia cultural entre os dois países."
Pois também eu vou dar mais um passo decisivo neste sentido, já no próximo fim-de-semana.
Há uns quinze anos,talvez, descobri no sul de Espanha um povo e um país com os quais me identifico e uma cultura que me apaixona, em tudo aquilo que a distingue e aproxima da nossa. E percebi que não faz sentido vivermos de "costas voltadas". E que o convívio com nuestros hermanos, além de divertidíssimo é sempre muito enriquecedor. E faz bem à alma.
Afinal, não há coisa melhor que rir, comer, beber, cantar, dançar ou simplesmente estar com os amigos mesmo, ou até sobretudo, se vivemos de um e de outro lado da fronteira.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Há qualquer coisa de espanhol em mim. E num certo sentido, acho que os espanhóis aproveitam melhor a vida, não são tão lamurientos como nós, nem tão pessimistas. Nós é sempre o fado (da "desgraçadinha" de preferência) e eles o flamenco, que também pode ser a expressão de uma dor de alma, mas de dentro para fora e não de fora para a dentro como a nossa. :))

      Eliminar