segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

O Passado



É um filme iraniano, mas passado em Paris e falado em Francês - razões mais que suficientes para eu o querer ir ver. Além disso, tem Bérénice Bejo, de cuja presença fortíssima me lembro desde "O Artista", apesar de aí não haver sequer palavras (ou talvez justamente por isso mesmo). 
Não conhecia o realizador, Asghar Farhadi, que em 2012 ganhou o Óscar do Melhor Filme Estrangeiro e vários outros prémios com "Uma Separação", que eu não vi, e do qual, segundo lera, este filme seria uma espécie de continuação, pelo menos em termos temáticos. 
Fui; e não me arrependi. É um filme intenso, dramático, sobre a complexidade dos afectos, o desgaste das relações e o que sobra delas. Sobre a responsabilidade e a culpa; ou a sua ausência. Mas contido, também. Porque o que nele nos toca e impressiona é o que não é dito, nem mostrado, mas está lá de igual modo, nos silêncios, nos olhos de cada um, nos gestos por fazer, nas palavras que não chegam a pronunciar-se, na impossibiliade de voltar atrás no tempo. 
Bérénice Bejo, em cujo talento e magnetismo já reparara antes, convenceu-me em definitivo. Mas os restantes actores não lhe ficam atrás, com especial destaque para Ali Mosaffa como Ahmad, sereno, quase ternurento, e os não menos importantes papéis desempenhados pelo elenco mais jovem e infantil, Pauline Burlet (Lucie), e também Elyes Aguis (um fantástico Fouad) e Jeanne Jestin (como Léa). 
Este é, pois, digo eu, mais um filme que vale a pena ver.

6 comentários:

  1. Espero sinceramente que o filme seja do seu agrado.
    Tem condimentos para satisfazer o seu apreço pela 7ª arte não comercial.

    Hoje sim, é o último de 2013. Chuvoso, friorento, triste.
    Deixo-lhe um beijinho com votos de umas 'boas entradas'.

    Até para o ano!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu já vi o filme!... (E gostei. Muito)

      Bom Ano também para si!
      Beijinho

      Eliminar
  2. Dos poucos filmes - memoráveis- que vi posso dizer que aprecio imensamente o cinema iraniano. Infelizmente não vemos mais desta filmografia - nem de outras - porque o mainstream americano domina. Uma boa sugestão, registei. Bom ano :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale a pena vê-lo, sim.

      Bom Ano, Faty!
      Um grande beijinho

      Eliminar
  3. Isabel, por manifesta incompetência, deixei-lhe um comentário no seu post de 23 de Dezembro... Peço desculpa. Mas tem a validade de ser sincero, mesmo que deslocado no tempo... :)))) Bom ano para si e um beijinho

    Nelson

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já vi e não faz mal nenhum. Não tem que pedir desculpa de nada. Mais uma vez, desejo-lhe também um Bom Ano e dou-lhe mais um beijinho

      Eliminar